Hipertensão




A hipertensão é a manifestação sintomática de um estado anormal da circulação. É uma moléstia na qual os valores da pressão arterial em repouso estão aumentados. Num quadro de hipertensão, a pressão sistólica (o valor superior) é igual ou maior de 140 e a pressão diastólica (o valor menor) é igual ou maior de 90. Esses valores oscilam com a idade do paciente.

Quando o coração bombeia sangue pelas artérias, a força do fluxo sanguíneo exerce pressão sobre as paredes arteriais. Quando essa força é superior da necessária para manter um fluxo constante durante grande parte do dia, ocorre a hipertensão arterial.

Normalmente, a hipertensão é uma doença assintomática até que se desenvolvam suas complicações que podem levar ao comprometimento do coração, rins, cérebro, olhos e das artérias, limitando a atividade e encurtando a vida do paciente.

A hipertensão pode ser de origem renal, endócrina ou psicogênica. Além disso, podem existir fatores de predisposição genética, meio ambientais (como o alto consumo de sal), e também estímulos emocionais como raiva ou ansiedade. Conhece-se ainda a hipertensão secundária que pode ser causada por múltiplos fatores: insuficiência renal, transtornos hormonais, gravidez ou consumo de anticoncepcionais orais e determinados fármacos.

Durante um atendimento odontológico a  hipertensão mal controlada pode aumentar o modo agudo, perante situações estressantes, e desencadear angina, insuficiência cardíaca e hemorragias.  Os pacientes que fazem uso dos bloqueadores dos canais de cálcio, geralmente apresentam hiperplasia gengival ( aumento do volume das gengivas e papilas ). Embora pareça estranho à primeira vista, a correlação entre doenças da gengiva e problemas circulatórios importantes, como infarto do miocárdio, já é uma realidade científica comprovada por vários estudos associativos em todo o mundo. Estes estudos demonstram que pessoas que têm inflamação gengival crônica apresentam, eliminando-se todos os outros fatores de risco conhecidos (tabagismo, diabetes, hipertensão, obesidade, etc.), mais possibilidades de desenvolver doenças cardiovasculares do que pessoas que tem gengivas sadias.
Portanto, neste contexto, a manutenção da saúde oral é extremamente importante para a manutenção da saúde sistêmica do paciente e é sempre conveniente observar se a pressão está controlada e obter alguma orientação do cardiologista.
Luciana Torres, CD

 

©2010 Luciana Torres - Direitos Reservados